Notícias Internacionais

Haiyan foi considerado um dos maiores furacões de sempre a atingir a terra. Filipinas tinham dito que medidas de prevenção evitariam catástrofe mas só na província de Leyte - a mais afectada - as autoridades assumem que balanço pode chegar aos 10 mil óbitos.

Com ventos a atingir os 379 km/h e ondas de 15 metros, classificado na categoria cinco, a mais elevada na escala de Saffir-Simpson, o tufão não deixou praticamente nenhum edifício de pé. Nas zonas costeiras as casas afundaram-se. De acordo com o gabinete dos assuntos humanitários das Nações Unidos, a verdadeira extensão da catástrofe só será  contabilizada depois da tempestade passar.

A equipa da ADRA já foi destacada para dois locais, a cidade de Manila e a província de Bohol. Antes da chegada do Tufão, a ADRA Filipinas já tinha coordenado as operações de evacuação, com as agências locais. De acordo com Jonathan Catolico, diretor da comunicação da Divisão sul da Ásia-Pacífico, até ao momento não há registo de mortos entre a comunidade adventista da região. No sábado 8 de novembro, o Pr. Ted Wilson, presidente da Conferência Geral esteve em Manila, conduzindo as orações pelas vítimas desta calamidade.

A ADRA já disponibilizou no seu portal, uma forma de pessoas de todo o mundo oferecerem donativos, para apoiarem esta devastada região do globo.

 

por Ad7 | ANN