Notícias Internacionais

Um pastor Adventista do Sétimo Dia desapareceu depois de ter sido raptado por homens armados durante o serviço de Santa Ceia realizado no Sábado passado numa igreja situada no leste da Ucrânia, território controlado pelo movimento separatista.

Homens não identificados, armados com metralhadoras e usando uniformes camuflados, irromperam pela igreja na cidade de Horlivka no dia 27 de setembro e apoderaram-se do pastor Sergei Litovchenko. “Eles interromperam o serviço de culto e forçaram os adoradores a dispersar”, segundo um comunicado da União Ucraniana. “Eles ordenaram ao pastor Sergei Litovchenko que fechasse a igreja, obrigaram-no a entrar num carro e partiram numa direção desconhecida.” O incidente ocorreu quando o pastor estava a conduzir a congregação no serviço de Santa Ceia na pequena igreja localizada no número 1 da rua Ulitsa Horlovskoi Divizii. Os homens armados de Horlivka justificaram a sua ação afirmando que “esta terra é Ortodoxa e não há aqui lugar para seitas.” Eles recusaram identificar-se e indicar por que razão estavam a perturbar as atividades da igreja, respondendo abruptamente às perguntas dos membros com a frase “Não é da vossa conta!” A União Ucraniana está a procurar determinar o paradeiro do pastor. “Desconhecemos o local em que ele se encontra e o que lhe aconteceu”, disse Vassily Nichik, diretor do Departamento de Liberdade Religiosa e de Assuntos Públicos da União do Oeste da Rússia, que faz fronteira com o leste da Ucrânia. Este rapto é um desenvolvimento perturbador para a Igreja Adventista do Sétimo Dia no leste da Ucrânia, onde confrontos entre separatistas pró-russos e forças governamentais ucranianas já mataram mais de 3500 pessoas desde abril. Os separatistas, que apoiam a fé ortodoxa e que têm criticado o Protestantismo como sendo sectário, já haviam detido vários membros da Igreja Adventista do Sétimo Dia, mas sempre os haviam libertado rapidamente. Nenhum Adventista foi ferido ou morto no leste da Ucrânia, onde o conflito evoluiu para a aplicação de um cessar-fogo desde 5 de setembro. Apenas um edifício de igreja sofreu danos avultados.

John Graz, diretor do Departamento de Liberdade Religiosa e de Assuntos Públicos da Conferência Geral, exprimiu uma profunda preocupação com o rapto e disse que estava intrigado por não compreender as razões que poderiam levar alguém a tomar o pastor Litovchenko como alvo. “A nossa Igreja é reconhecida oficialmente na Rússia e na Ucrânia e esperamos que os nossos membros e os nossos pastores sejam respeitados pelas autoridades que controlam o território do leste da Ucrânia. A Igreja Adventista do Sétimo Dia não se envolve em política, pelo que não compreendemos porque razão ela possa ser atacada”, disse Graz.

Ad7News/RA